É o fim Playstation Vita vai parar de ser produzido

De acordo com a gematsu.com uma nota oficial no site do playstation no Japão informa que em breve o PS Vita não irá mais ser produzido, o console portátil lançado em 2011 não chegou nem perto do sucesso do seu predecessor Playstation Portable ou PSP para íntimos.

A Sony com o PSP entrou com o pé direito no mercado de consoles portáteis, o primeiro portátil da empresa vendeu 82 milhões de unidades, para se ter uma ideia do quão significativo é esse número, o primeiro Playstation que às vezes parece que todo mundo já teve um, vendeu 102 milhões de unidades.

Anúncio

PS Vita - Tela
PS Vita – Tela

Quando a Sony anunciou o Playstation Vita, o sucessor do PSP, o portátil parecia que seria mais um produto de sucesso da família Playstation, e fez bastante barulho prometendo entregar poder gráfico próximo ao de um Playstation 3 em um console de bolso.

Além da evolução no poder gráfico o console trouxe diversos recursos como tela oled sensível ao toque, a parte traseira do portátil também é touch, o PS Vita é compatível com as principais tecnologias sem fio, traz o sensor de movimento SIXAXIS presente no controle do Playstation, GPS, câmeras frontal e traseira e o mais importante, o PS Vita tem dois direcionais analógicos.

O novo portátil da Sony não só estava chegando em 2011 completamente atualizado como um console de videogame, como também não deixaria a desejar para os smartphones já vindo com recursos para rodar tanto jogos tradicionais quanto jogos desenvolvidos pensados originalmente para dispositivos móveis com controle focado em touch-screen.

Jogos

PS Vita - Uncharted
PS Vita – Uncharted

Uncharted: Golden Abyss, uma versão exclusiva do portátil foi o primeiro jogo mostrado para o Vita e não deixava nada a desejar as versões do irmão mais velho Playstation 3, outros jogos anunciados junto com PS Vita foram o Wipeout, o Little Deviants que usava o sensor touch traseiro para modificar o terreno, o Little Big Planet que faz a criação de fases muito mais intuitiva com os recursos de toque, o Sound Shapes um jogo de música e plataforma, o Gravity Rush o jogo mais subestimado que já foi lançado (mesmo na sua segunda versão que saiu também para o PS4), o Hustle Kings um jogo de sinuca que usa o controle de toque, o ModNation Racers um jogo de kart estilo Mario Kart no universo do Little Big Planet onde além de participar das corridas você cria as suas próprias pistas, o Super Stardust um jogo arcade de nave com gráficos estilizados estilo o Space Wars onde você destrói meteoros, Warrior’s Lair um Action RPG estilo Diablo e Path of Exile, o Reality Fighters um jogo que usa a câmera do console para transformar qualquer cenário do mundo real em cenário de um jogo de luta 3D estilo Tekken, o Hot Shots Golf, o Shinobido 2 um jogo de ação e furtividade continuação do jogo que havia sido lançado para PS2 e PSP, o Virtua Tennis 4, um jogo da série Dynasty Warriors e o Dragon Crown um jogo no estilo beat-n-up com os personagens e cenários muito bem desenhados.

O Playstation Vita no anuncio tinha jogos para todos os gostos e que destacavam as características do portátil, mas agora no final da vida do console, diferente do seu predecessor PSP que vendeu 82 milhões de unidades, o PS Vita vendeu pouco menos de 15 milhões.

Mas porque o PS Vita vendeu tão pouco?

PS Vita - Little Big Planet
PS Vita – Little Big Planet

Apesar da robusta line-up de lançamento, não que todos os jogos anunciados tenha sido lançados juntos com o PS Vita, durante os seus primeiros meses o Vita sofreu com escassez de jogos AAA (jogos com orçamento grande como Uncharted), por mais que o novo portátil da Sony suportasse jogos pequenos e mais simples, o que os jogadores esperavam eram mais jogos semelhantes aos jogos de consoles de mesa como o próprio Uncharted que foi lançado junto com o console.

E jogo AAA foi exatamente o que faltou na quantidade que os jogadores esperavam, apesar de terem sido lançados títulos mais próximos aos consoles grandes durante a vida do PS Vita como o Ninja Gaiden 2, o Need For Speed Most Wanted, o Borderlands 2, o Injustice, o Metal Gear Solid, o Assassin’s Creed Liberation e outros, os jogos não eram lançados com a mesma frequência que saíam para os consoles maiores, nem sempre eram exclusivos e tinham na sua maioria o mesmo preço que os jogos para os consoles maiores quando na verdade o que se espera de jogos para portáteis é que custem menos que os jogos para consoles de mesa (aqui no Brasil é diferente, eu sei).

Com a quantidade menor de jogos sendo lançados, o PS Vita não vendia muito, com o portátil sendo vendido pouco, os desenvolvedores preferiam não arriscar produzindo para o portátil jogos que custavam praticamente o mesmo para produzir em um console maior e que certamente venderiam melhor, e nessa bola de neve o PS Vita mesmo sendo uma máquina incrível foi ficando cada vez menos relevante até chegar nesse momento de adeus.

Acabou

O console vai fazer falta, talvez com o um marketing diferente e com jogos mais simples o PS Vita teria conseguido se reerguer como foi o caso do Nintendo 3DS que parecia que iria flopar mais já vendeu 74 milhões de unidades, bem menos que o campeão dos portáteis Nintendo DS com 154 milhões, mas ainda assim um número expressivo.

Agora fica no ar a pergunta, o mercado de videogames portáteis só vai contar com a Nintendo e os smartphones daqui pra frente, ou será que um dia a Sony volta ou a Microsoft ou até mesmo outra empresa resolve entrar no jogo?